Gentoo Logo

Aviso : Este documento não é válido e não é mais mantido.


Guia de atualizações do Gentoo

Conteúdo:

1.  Gentoo e atualizações

Filosofia

Aqui na terra do Gentoo, o conceito de atualização é bem diferente se comparado ao resto do mundo Linux. Você provavelmente já sabe que nós nunca entramos em contato com o jeito "clássico" de atualizar software: esperar por um novo lançamento, baixá-lo, gravá-lo, colocá-lo no drive de cdrom e seguir as instruções de atualização.

Você sabe (sendo um usuário de Gentoo antes de tudo) que esse processo é extremamente frustrante para usuários avançados que querem usar as últimas versões. Mesmo usuários avançados de outras distribuições provavelmente compartilham os mesmos sentimentos, dada popularidade e alcance de ferramentas como apt ou apt-rpm que possibilitam atualizações rápidas e freqüentes. No entanto, nenhuma distribuição é mais adequada que o Gentoo para satisfazer este tipo de demanda de usuários. Desde o começo, o Gentoo foi desenho em torno do conceito de atualizações rápidas e incrementais.

Idealmente, você instala uma vez e nunca se importa com lançamentos: só siga as instruções em Uma introdução ao Portage no Manual do Gentoo que explica como manter seu sistema atualizado. Embora este seja o jeito que as coisas normalmente funcionam, às vezes mudanças são feitas nos pacotes centrais que requerem atualizações feitas manualmente.

Lançamentos e perfis (profiles)

Uma questão recorrente sobre o processo de lançamento do Gentoo é: "Por que lançar novas versões freqüentemente, se elas não feitas para os usuários atualizarem seu software?". Existem várias razões:

  • Um novo lançamento significa novos CDs de Instalação com consertos de bugs e novas funções.
  • Um lançamento novo traz um novo conjunto de pacotes GRP, para que usuários que escolham "o jeito rápido" para instalar (stage3 + pacotes pré-compilados) não terminem com um sistema que não é atualizado.
  • Finalmente, um novo lançamento pode, de tempo em tempo, implementar novas funções que são incompatíveis com lançamentos anteriores.

Quando um lançamento inclui novas funções incompatíveis, ou providencia um conjunto de pacotes centrais e ajustes que modificam profundamente o comportamento do sistema, nós podemos dizer que ele providencia um novo profile (perfil).

Um profile é um conjunto de arquivos de configuração, gravados em um subdiretório de /usr/portage/profiles, que descrevem coisas como as ebuilds que são consideradas pacotes de system, as opções de USE padrão, o mapeamento padrão para pacotes virtuais, e a arquitetura em que o sistema está rodando.

O profile em uso é determinado por um link simbólico /etc/make.profile, que aponta para um subdiretório de /usr/portage/profiles que contém os arquivos de profile. Por exemplo, o profile x86 2005.0 padrão pode ser encontrado em /usr/portage/profiles/default-linux/x86/2005.0. Os arquivos nos diretórios precedentes também são parte do profile (e são portanto compartilhados por diferentes subprofiles). É por isso que os chamamos de cascaded profiles.

Profiles obsoletos por versões novas são guardados em /usr/portage/profiles junto com os novos, mas são marcados como deprecados. Quando isto acontece um arquivo chamado deprecated é colocado no diretório do profile. O conteúdo do arquivo é o nome do profile a que se deve "atualizar"; O portage usa a informação para avisar você automaticamente quando você deve atualizar para um novo profile.

Existem várias razões para um novo profile ser criado: o lançamento de novas versões dos pacotes centrais (como baselayout, gcc, ou glibc) que são incompatíveis com versões anteriores, uma mudanças nas opções de USE padrão ou no mapeamento virtual, ou talvez uma mudança nos ajustes do sistema (como definir o udev como o gerenciador padrão de /dev ao invés de devfs).

2.  Acompanhando os novos lançamentos

Lançamentos sem mudanças de profile

Se algum novo lançamento do Gentoo for anunciado que não contém um novo profile, você pode seguramente fingir que ele nunca aconteceu :).

Se você atualizar seus pacotes instalados como explicado no Manual do Gentoo, então seu sistema irá ser exatamente igual ao que foi instalado usando o novo lançamento.

Lançamentos com mudanças de profile

Se um lançamento (como o 2005.0) introduzir um novo profile, você tem a escolha de migrar para o novo profile.

Naturalmente, você não é forçado a fazê-lo, e você pode continuar a usar seu profile antigo e só atualizar seus pacotes como explicado no Manual do Gentoo.

No entanto, O Gentoo tem fortes recomendações para a atualização de seu profile se ele tornar-se deprecado. Quando isto acontece, significa que os desenvolvedores do Gentoo não planejam mais suportá-lo. Usando a tabela abaixo, você pode verificar rapidamente que profiles são atualmente suportados.

Se você decidir-se migrar para o novo profile, então você terá que fazer a atualização manualmente. Deste jeito sua atualização pode variar significantemente de lançamento para lançamento; depende de quão profundas são as modificações introduzidas no novo profile.

No caso mais simples você só tem que trocar o link simbólico /etc/make.profile, no pior você pode ter que recompilar seu sistema inteiro do zero enquanto faz uma dança vodu. A migração é normalmente coberta nas notas de lançamento. Você também pode encontrar instruções no final deste guia.

Profiles suportados

Os seguintes profiles são oficialmente suportados pelos desenvolvedores do Gentoo:

Arquitetura Profiles mais recentes Outros profiles suportados
alpha 2005.0, 2005.0/2.4 2004.3
arm 2005.0 2004.3
amd64 2005.0, 2005.0/no-multilib 2004.3
hppa 2005.0, 2005.0/2.4 2004.3, 2004.2
ia64 2005.0
ppc 2005.0 2004.3, 2004.0
mips 2005.0 2004.2
s390 2005.0 2004.3
sparc 2005.0 2004.3, 2004.0
x86 2005.0, 2005.0/2.4 2004.3, 2004.2, 2004.0

3.  Instruções para atualização de profile

Atualizando para 2005.0

Com a introdução do 2005.0, várias arquiteturas decidiram definir profiles adicionais. Certifique-se de ler a descrição de tais profiles antes de decidir migrar para um deles. A maior parte das arquiteturas agora tem como padrão a árvore do kernel 2.6 ao invés da antiga escolha de 2.4.

Algumas arquiteturas precisam que mais ações sejam tomadas para converter de um profile para outro. Se este for o caso, os guias passo-a-passo estão ligados da tabela.

Profile Descrição Guia de atualização específico
default-linux/alpha/2005.0 Perfil padrão Alpha 2005.0 para kernéis 2.6
default-linux/alpha/2005.0/2.4 Perfil padrão Alpha 2005.0 para kernéis 2.4
default-linux/amd64/2005.0 Perfil padrão AMD64 2005.0 para kernéis 2.6 Atualizando para 2005.0
default-linux/amd64/2005.0/no-multilib Profile de AMD64 2005.0 para instalações de sistema com multilib desativado Atualizando para 2005.0
default-linux/arm/2005.0 Perfil padrão ARM 2005.0 para kernéis 2.6
default-linux/hppa/2005.0 Perfil padrão HPPA 2005.0 para kernéis 2.6
default-linux/hppa/2005.0/2.4 Perfil padrão HPPA 2005.0 para kernéis 2.4
default-linux/mips/2005.0 Perfil padrão MIPS 2005.0
default-linux/mips/cobalt/2005.0 Perfil específico para Cobalt MIPS 2005.0
default-linux/mips/mips64/n32/2005.0 Perfil MIPS 2005.0 para plataformas que não suportam n32
default-linux/mips/mips64/ip28/2005.0 Perfil MIPS 2005.0 específico para Indigo2 Impact
default-linux/mips/mips64/2005.0 Perfil MIPS 2005.0 de 64-bits
default-linux/ppc/2005.0 Perfil padrão PPC 2005.0 para kernéis 2.6
default-linux/ppc64/2005.0 Perfil padrão PPC64 2005.0 para kernéis 2.6
default-linux/s390/2005.0 Perfil padrão S390 2005.0
default-linux/sparc/sparc32/2005.0 Perfil padrão Sparc de 32-bits 2005.0
default-linux/sparc/sparc64/2005.0 Perfil padrão Sparc de 64-bits 2005.0
default-linux/x86/2005.0 Perfil padrão x86 2005.0 para kernéis 2.6
default-linux/x86/2005.0/2.4 Perfil padrão x86 2005.0 para kernéis 2.4

Para mudar para o perfil selecionado, aponte o link simbólico /etc/make.profile para o novo local. Certifique-se de que o Portage está atualizado antes de mudar seu profile!

Listagem de código 3.1: Mudando para um profile 2005.0

# rm /etc/make.profile
# ln -s ../usr/portage/profiles/<profile selecionado> /etc/make.profile

Se você estiver rodando um sistema baseado em Linux 2.4, mas quer migrar para um kernel baseado em 2.6, certifique-se de ler nosso Guia de migração para o Linux 2.6 do Gentoo.

Atualizando para 2004.3

Com a introdução dos profiles 2004.3, os usuários não irão perceber grandes modificações em seus sistemas (veja abaixo para detalhes). No entanto, os desenvolvedores do Gentoo decidiram empurrar esse novo profile e deprecar alguns dos antigos para acelerar a adoção de profiles em cascata, isto é, os profiles que seguem o novo arranjo do diretório /usr/portage/profiles, por exemplo /usr/portage/profiles/default-linux/x86/2004.3 (suportado pelo Portage 2.0.51 ou mais recente).

Para trocar para o profile 2004.3, aponte o link simbólico /etc/make.profile para o novo local:

Aviso: Não se esqueça de atualizar o Portage antes de mudar seu profile!!!

Listagem de código 3.2: Atualizando o link simbólico /etc/make.profile

troque <arch> com sua arquitetura
# rm /etc/make.profile
# ln -s ../usr/portage/profiles/default-linux/<arch>/2004.3 /etc/make.profile

Todas arquiteturas - Como dito acima, não há grandes mudanças neste profile. No entanto deve ser notado que sys-apps/slocate e net-misc/dhcpcd não são mais considerados pacotes de sistema. Isto significa que se você rodar emerge --depclean, o Portage irá tentar removê-los de seu sistema. Se você precisar de algum desses pacotes, adicione-os ao /var/lib/portage/world depois da mudança de profile, ou faça emerge deles manualmente.

ppc - sys-fs/udev agora é o padrão ao invés de sys-fs/devfs para máquinas recém-instaladas. Não tem efeito em máquinas já instaladas, todavia.

Atualizando para 2004.2

Para trocar para o profile 2004.2, aponte o link simbólico /etc/make.profile para o novo local:

Aviso: Não se esqueça de atualizar o Portage antes de mudar seu profile!!!

Listagem de código 3.3: Atualizando o link simbólico /etc/make.profile

troque <arch> com sua arquitetura
# rm /etc/make.profile
# ln -s ../usr/portage/profiles/default-linux/<arch>/2004.2 /etc/make.profile

x86 - Este profile muda a implementação padrão de X11 de x11-base/xfree para x11-base/xorg-x11. Esta mudança só toca no valor padrão, e só é relevante para os que ainda não instalaram um servidor de X. Se você já tiver um instalado, ele não afetará você de forma alguma; você é livre para trocar de um servidor de X para outro exatamente como antes.

amd64 - Não há mudanças fundamentais de profiles anteriores, nenhuma ação específica precisa ser tomada.

Atualizando para 2004.0

Para atualizar para o perfil 2004.0, aponte o link simbólico /etc/make.profile para o novo local:

Listagem de código 3.4: Atualizando o link simbólico /etc/make.profile

troque <arch> com sua arquitetura
# rm /etc/make.profile
# ln -s ../usr/portage/profiles/default-<arch>-2004.0 /etc/make.profile

Todas arquiteturas - Não há mudanças fundamentais de profiles anteriores, nenhuma ação específica precisa ser tomada.

Atualizando profiles mais antigos que o 1.4 para o 1.4

As instruções para esta atualização são muito complexas, você pode encontrá-las aqui.



Imprimir

Atualizado 27 de junho de 2005

A versão original desta tradução não é mais mantida

Resumo: Este documento explica como nossos novos lançamentos do Gentoo afetam instalações existentes.

Gregorio Guidi
Autor

Marcelo Góes
Tradutor

Donate to support our development efforts.

Copyright 2001-2014 Gentoo Foundation, Inc. Questions, Comments? Contact us.