Gentoo Logo

Aviso : Este documento não é válido e não é mais mantido.


Como configurar o servidor de X

Conteúdo:

1.  O que é o servidor de X Window?

Interface gráfica e linha de comando

O usuário normal pode ficar assustado com a idéia de ter de digitar comandos. Por que ele não pode apontar e clicar, levando sua vida com a liberdade oferecida pelo Gentoo (e o Linux em geral)? Bom, *grande sorriso*, claro que você pode fazer isso :-) O Linux oferece uma grande variedade de interfaces de usuário e ambientes atraentes que você pode adicionar à sua instalação existente.

Esta é uma das maiores surpresas que os usuários novos encontram: uma interface gráfica de usuário não é nada mais que uma aplicação que roda em seu sistema. Ela não faz parte do kernel do Linux ou qualquer parte interna do sistema. É uma ferramenta poderosa que ativa as habilidades gráficas de sua estação de trabalho.

Padrões são importantes, como um padrão para desenhar e mover janelas em uma tela, interagir com o usuário através de mouse, teclado e outros aspectos básicos, porém importantes. Assim, foi criado e batizado o X Window System, normalmente abreviado como X11 ou só X. Ele é usado em Unix, Linux e sistemas operacionais parecidos com Unix no mundo inteiro.

A aplicação que oferece a usuários de Linux a habilidade de rodar interfaces gráficas de usuário e que usa o padrão X11 é o Xorg-X11, uma secessão do projeto do XFree86. O XFree86 escolheu usar uma licença que pode não ser compatível com a licença GPL; o uso do Xorg é, portanto, recomendado. A árvore oficial do Portage não oferece mais nenhum pacote de XFree86.

O projeto do X.org

O projeto do X.org criou e mantém uma implementação de redistribuição livre de código-aberto do sistema X11. Ele é uma infra-estrutura de desktop de código-aberto baseada em X11.

O Xorg fornece uma interface entre seu hardware e o software gráfico que você quer rodar. Além disso, o Xorg também é totalmente ciente de redes, o que significa que você pode rodar uma aplicação em um sistema enquanto a vê em um sistema diferente.

2.  Instalando o Xorg

Usando o emerge

Chega de conversa, vamos direto ao assunto? Para instalar o Xorg, você só precisa rodar emerge xorg-x11. Instalar o Xorg demora bastante, no entanto, então você pode ir fazer um lanche enquanto você espera.

Listagem de código 2.1: Instalando o Xorg

# emerge xorg-x11

Quando a instalação houver terminado, você pode ter de reiniciar algumas variáveis de ambiente antes de continuar. Simplesmente rode env-update, seguido de source /etc/profile e tudo pronto. Isto não faz nenhum mal ao seu sistema.

Listagem de código 2.2: Reiniciando as variáveis de ambiente

# env-update
# source /etc/profile

3.  Configurando o Xorg

O arquivo xorg.conf

O arquivo de configuração do Xorg é chamado de xorg.conf e ele reside em /etc/X11. O pacote Xorg-X11 fornece uma configuração de exemplo em /etc/X11/xorg.conf.example, que você deve usar para criar sua própria configuração. Ele é bem comentado, mas se você precisar de mais documentação sobre a sintaxe, não hesite em ler a página de man:

Listagem de código 3.1: Lendo a página de man do xorg.conf

# man 5 xorg.conf

Boa leitura para os que quiserem fazê-la. Nós, porém, não queremos. Logo, vamos continuar com como podemos criar o arquivo automaticamente.

Padrão: Geração automática do xorg.conf

O Xorg sozinho é capaz de adivinhar a maior parte dos parâmetros para você. Na maior parte dos casos, você só precisa mudar algumas linhas para configurar a resolução que você quer ter funcionando. Se você estiver interessado em mudanças mais profundas, lembre-se de ver os recursos no final do capítulo. Mas primeiro, vamos gerar um arquivo de configuração do Xorg (que esperamos que funcione).

Listagem de código 3.2: Gerando um arquivo xorg.conf

# Xorg -configure

Certifique-se de ler as últimas linhas impressas na sua tela quando o Xorg terminar de inspecionar seu hardware. Se ele disser que falhou em algum ponto, você será forçado a escrever um arquivo xorg.conf manulmente. Presumindo que ele não falhou, ele dirá para você ele escreveu o /root/xorg.conf.new pronto para você testar. Então, vamos testar :)

Listagem de código 3.3: Testando o arquivo xorg.conf.new

# X -config /root/xorg.conf.new

Se tudo for bem, você deve ver um simples padrão de branco e preto. Verifique se seu mouse funciona corretamente e se a resolução é boa. Você pode não ser capaz de deduzir a resolução exata, mas você deve ser capaz de dizer se é muito baixa. Você pode sair a qualquer momento apertando Ctrl-Alt-Backspace.

Alternativa: Geração semi-automática do xorg.conf

O Xorg fornece uma ferramenta chamada xorgconfig que irá pedir várias informações para você sobre seu sistema (adaptador gráfico, teclado, ...). Com base em sua entrada, ele irá criar um arquivo de xorg.conf.

Listagem de código 3.4: Geração semi-automática do xorg.conf

# xorgconfig

Outra ferramenta, também fornecida pelo Xorg, é o xorgcfg, que primeiro tenta rodar Xorg -configure e depois iniciar o servidor de X para mais ajustes finais.

Listagem de código 3.5: Usando o xorgcfg

# xorgcfg
(Caso o X tiver problemas ou a configuração falhar, tente:)
# xorgcfg -textmode

Copiando o xorg.conf

Vamos copiar o arquivo xorg.conf.new para /etc/X11/xorg.conf agora, para não termos que continuamente rodar X -config -- digitar só X ou startx é bem mais fácil :)

Listagem de código 3.6: Copiando o xorg.conf

# cp /root/xorg.conf.new /etc/X11/xorg.conf

Usando startx

Agora, tente rodar startx para iniciar seu servidor de X. startx é um script que executa uma sessão de X, isto é, inicia os servidores de X e algunsaplicativos gráficos em cima. Ele decide que aplicações rodar usando a seguinte lógica:

  • Se um arquivo chamado .xinitrc existir no diretório de home, ele irá executar os comandos listados lá.
  • Caso contrário, ele irá ler o valor da variável XSESSION e irá executar uma das sessões disponíveis em /etc/X11/Sessions/ de acordo (você pode configurar o valor de XSESSION em /etc/rc.conf para tornar padrão para todos usuários do sistema).
  • Se tudo acima der problema, irá voltar para um simples gerenciador de janelas, normalmente twm.

Listagem de código 3.7: Iniciando o X

# startx

Se você vir um gerenciador de janelas muito feio, fedido, repulsivo e deformado, este é o twm. Para terminar uma seção de twm, digite exit ou Ctrl-D nos xterms que aparecerem. Você também pode matar a sessão de X usando a combinação Ctrl-Alt-Backspace. Isto, no entanto, fará com que o X termine incorretamente -- algo que você pode não sempre querer. Não faz mal, porém :)

4.  Ajustando o xorg.conf

Configurando sua resolução

Se você acha que a resolução de tela está incorreta, você precisa verificar duas seções na sua configuração. Antes de tudo, você tem a seção Screen, que lista as resoluções, se existirem resoluções com que seu servidor de X irá rodar. Por padrão, esta seção pode não listar nenhuma resolução. Se este for o caso, o Xorg irá estimar as resoluções com base na informação da segunda seção, Monitor.

O que acontece é que o Xorg verifica os ajustes de HorizSync e VertRefresh na seção Monitor para computar resoluções válidas. Por hora, deixe os ajustes como estão. Só quando as mudanças na seção Screen (que iremos descrever em um minuto) não funcionarem que você precisará buscar as especificações de seu monitor e preencher os valores corretos. Você também pode usar uma ferramenta que busca as especificações de seu monitor, como sys-apps/ddcxinfo-knoppix.

Aviso: Não mude "simplesmente" os valores dessas duas variáveis relacionadas ao monitor sem consultar especificações técnicas de seu monitor. Configurar valores incorretos pode levar a erros de sincronia nos melhores casos e monitores queimados nos piores.

Agora vamos mudar as resoluções. No próximo exemplo do /etc/X11/xorg.conf, nós adicionamos as linhas Modes e DefaultDepth para que seu servidor de X comece com 24 bits em 1024x768 por padrão. Não se preocupe com as linhas dadas -- elas são exemplos e provavelmente irão ser diferentes dos ajustes de seu sistema.

Listagem de código 4.1: Mudando a seção Screen no /etc/X11/xorg.conf

Section "Screen"
  Identifier  "Default Screen"
  Device    "S3 Inc. ProSavage KN133 [Twister K]"
  Monitor   "Generic Monitor"
  DefaultDepth  24
  # Pulando texto para melhorar a leitura
  SubSection "Display"
    Depth   24
    Modes   "1024x768"
  EndSubSection
EndSection

Rode o X (startx) para descobrir se ele usa a resolução que você quer :)

Configurando seu teclado

Para configurar o X para usar um teclado internacional, procure a seção InputDevice, que configura seu teclado e adicione a opção XkbLayout para apontar ao arranjo de teclado que você quiser. Como um exemplo, nós mostramos como aplicar um arranjo de teclado belga. Só substitua o código de país com o seu próprio:

Listagem de código 4.2: Mudando o arranjo de teclado

Section "InputDevice"
  Identifier  "Generic Keyboard"
  Driver    "keyboard"
  Option    "CoreKeyboard"
  Option    "XkbRules"  "xorg"
  Option    "XkbModel"  "pc105"
  Option    "XkbLayout" "be"
EndSection

Configurando seu mouse

Se seu mouse não estiver funcionando, você primeiro irá precisar descobrir se ele é detectado pelo kernel. Mouses são (em termos de dispositivo) vistos como /dev/input/mouse0 (ou /dev/input/mice se você quiser usar vários mouses). Em alguns casos /dev/psaux é usado. Em qualquer caso, você pode ver se os dispositivos representam seu mouse verificando a saída dos arquivos quando você move seu mouse. Você normalmente irá ver "lixo" em sua tela. Para terminar a sessão aperte Ctrl-C.

Listagem de código 4.3: Verificando os arquivos de dispositivo

# cat /dev/input/mouse0
(Não se esqueça de apertar Ctrl-C para terminar isso)

Se seu mouse não for detectado, verifique se todos módulos necessários foram carregados.

Se seu mouse for detectado, preencha o dispositivo na seção InputDevice apropriada. No próximo exemplo, você verá que nós também configuramos duas outras opções: Protocol (que lista o protocolo de mouse a ser usado -- a maior parte dos usuários irão usar PS/2 ou IMPS/2) e ZAxisMapping (que permite que a roda de mouse (se houver) seja usada).

Listagem de código 4.4: Mudando ajustes de mouse no Xorg

Section "InputDevice"
  Identifier  "TouchPad Mouse"
  Driver    "mouse"
  Option    "CorePointer"
  Option    "Device"    "/dev/input/mouse0"
  Option    "Protocol"    "IMPS/2"
  Option    "ZAxisMapping"    "4 5"
EndSection

Rode startx e fique feliz com o resultado :) Parabéns, você agora (espera-se) tem um Xorg funcional em seu sistema. O próximo passo é remover este gerenciador de janelas leve e feio e usar um de várias funções (ou mesmo um ambiente de desktop) como KDE ou GNOME, mas isto não é parte deste guia :)

5.  Recursos

Criando e ajustando o xorg.conf

Primeiro de tudo, man 5 xorg.conf fornece uma referência rápida, porém completa, da sintaxe usada pelo arquivo de configuração. Tenha certeza de tê-lo aberto em um terminal próximo de você quando você for editar seu arquivo de configuração!

Um segundo ponto de recursos em seu sistema é o diretório /usr/X11R6/lib/X11/doc com vários README's para chipsets gráficos individuais.

Existem muitos recursos online sobre como editar o xorg.conf. Nós só listamos alguns deles aqui, certifique-se de olhar no Google para ver outros :) Como o xorg.conf e o XF86Config (o arquivo de configuração para o projeto XFree86) usam a mesma sintaxe para a maior parte das opções de configuração e mais informações sobre o XF86Config estão disponíveis, iremos listar esses recursos também.



Imprimir

Atualizado 9 de setembro de 2005

A versão original desta tradução não é mais mantida

Resumo: O Xorg é o servidor de X Window que permite que os usuários tenham um ambiente gráfico ao seu alcance. Este guia explica o que é o Xorg, como instalá-lo e quais são as várias opções de configuração.

Sven Vermeulen
Autor

Marcelo Góes
Tradutor

Donate to support our development efforts.

Copyright 2001-2014 Gentoo Foundation, Inc. Questions, Comments? Contact us.